RANKING LISTA MELHORES PAÍSES PARA ESTUDANTES


A Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) divulgou rankings dos países-membros da entidade mais atraentes para estudantes universitários, empreendedores ou imigrantes altamente qualificados.
Austrália, Canadá, Nova Zelândia, Suécia e Suíça estão entre as nações mais bem posicionadas nas listas, que levam em conta fatores como facilidade para obter vistos, qualidade de vida e perspectivas de carreira.
Já países como Estados Unidos, Grã-Bretanha e França têm desempenho oscilante, pontuando bem em alguns quesitos e deixando a desejar em outros.
Os rankings são integrados por 35 dos 36 países da OCDE - a Lituânia, última nação a ingressar no bloco, ficou de fora.
A OCDE é um fórum que promove políticas públicas, realiza estudos e auxilia no desenvolvimento de seus membros. A organização inclui boa parte dos países mais desenvolvidos do mundo e alguns emergentes, como México, Chile e Turquia.
O Brasil tem hoje o status de parceiro-chave da OCDE e pleiteia se tornar membro pleno do grupo.
Quando a dificuldade de obter um visto não é levada em conta, os EUA lideram esse ranking graças a seu grande mercado de trabalho e à força de sua economia, além das condições fiscais vantajosas e da qualidade das oportunidades profissionais.
Mas o país perde posições por causa de seu alto índice de rejeição de vistos.
Por outro lado, Suécia, Suíça, Luxemburgo e Eslovênia têm sistemas migratórios mais abertos e pontuam bem nesse quesito.
Austrália e Nova Zelândia também estão entre os primeiros colocados, principalmente por terem sociedades inclusivas e boas perspectivas futuras para profissionais.
De forma geral, as nações no topo do ranking têm alto padrão de vida e forte demanda por trabalhadores qualificados.
Os cinco melhores países para imigrantes quem desejem empreender são diferentes dos mais atraentes para profissionais qualificados.
Canadá, Nova Zelândia, Irlanda e os EUA pontuam bem quando se leva em conta a facilidade para fazer negócios e as regras burocráticas. A Suíça, por sua vez, avança várias posições no ranking por ter os menores impostos para empresas de toda a OCDE.
Mas quando se leva em conta a dificuldade para obter um visto de empreendedor, os EUA e a Irlanda caem posições ,sendo substituídos por Suécia e Noruega.
Nos EUA, exige-se um investimento mínimo de US$ 1 milhão para a obtenção de um Visto de Imigrante Empreendedor (EB-5) e a criação de ao menos dez postos de emprego. Já países nórdicos têm exigências de investimento mais baixas.
Noruega, Alemanha e Suíça pontuam bem no quesito "renda e impostos" por permitirem que pessoas com visto de estudante trabalhem e por cobrarem as mesmas mensalidades de alunos estrangeiros e locais.
França e Itália ganham pontos por facilitarem a transição entre estudo e trabalho, após a graduação dos estudantes.
Em geral, países onde a língua inglesa é amplamente falada (como EUA, Reino Unido, Canadá, Austrália e Nova Zelândia) também ocupam posições de destaque nesse ranking.
Fonte: Terra Educação



 Voltar
Boleteen - Colégio 24 Horas