PELO MENOS QUATRO ESTADOS QUEREM VACINAR PROFESSORES AGORA


Ao menos quatro estados – São Paulo, Espírito Santo, Paraná e Rio de Janeiro – anunciaram a previsão de vacinar professores e profissionais da educação entre abril e maio, de acordo com um levantamento feito pelo Conselho Nacional de Secretários de Educação (Consed).
Em São Paulo, a imunização dos professores deve ocorrer a partir de 12 de abril. A expectativa é vacinar 350 mil profissionais da educação. A prioridade serão profissionais da educação básica (desde a creche até o ensino médio). No Espírito Santo e no Rio de Janeiro, a vacinação deve ocorrer a partir de 15 de abril.
No Paraná, a previsão é imunizar os docentes até o fim de maio. De acordo com a Secretaria Estadual de Educação, "a programação é vacinar 4 milhões de pessoas dos grupos prioritários até o dia 31 de maio, no qual estão os professores e todos os trabalhadores da Educação".
No início de março, o ministro da Educação, Milton Ribeiro, anunciou que havia pedido a inclusão dos profissionais de educação no Plano Nacional de Imunização. O Ministério da Saúde afirmou, na época, que os professores já estavam entre os prioritários e que, naquele momento, não havia "ampla disponibilidade da vacina no mercado mundial". Na lista de prioridades, os profissionais da educação estão em 15º lugar.
De acordo com o Censo Escolar 2020, há 2,2 milhões de professores da educação básica e 161.183 diretores atuando nas 179,5 mil escolas no Brasil. No ensino superior, havia 339,9 mil docentes em exercício em 2019, dado mais recente disponível.
A imunização ampla dos professores e profissionais da educação poderá garantir um retorno mais seguro às salas de aulas, fechadas em março do ano passado para conter a pandemia do coronavírus.
Em dezembro, a Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco) pediu prioridade dos professores no acesso às vacinas contra a Covid-19, ao considerar que estes profissionais devem ser tratados como trabalhadores da "linha de frente". "Ao ver os avanços positivos em relação à vacinação, acreditamos que os docentes e o pessoal de apoio à educação devem ser considerados grupo prioritário", disse a chefe da Unesco, Audrey Azoulay, em mensagem conjunta em vídeo com o diretor da organização de docentes da Internacional da Educação (IE), David Edwards.



 Voltar
Boleteen - Colégio 24 Horas