ESCOLAS DO RJ TERÃO AULA DE RESISTÊNCIA ÀS DROGAS


O governador do Rio, Wilson Witzel, sancionou uma lei que obriga escolas privadas e públicas do Estado a adotarem um programa de "resistência às drogas e à violência". O programa será ministrado por policiais militares, com o auxílio do corpo docente.
O texto da lei diz que a ideia é propiciar "um forte elo entre as escolas e as comunidades em que atuam, fortalecendo o trinômio: polícia militar, escola e família".
As escolas terão que procurar os batalhões militar de suas áreas para formalizar a inscrição no programa em questão, o Programa Educacional de Resistência às Drogas e à Violência (Proerd), que já existia e funcionava pontualmente em algumas unidades.
A lei não define a periodicidade das aulas.
"O Programa é baseado na presença de um Policial Militar, no desenvolvimento de atividades diversas, incluindo noções de cidadania, e práticas de grupo, trabalhando nas crianças a ansiedade e a autoestima", justifica a autora da lei, deputada Lucinha.
Outro trecho que não consta na lei, mas que foi citado pela autora, é um "juramento" ao final do curso, "dando a sensação de integração social aos pré-adolescentes".
As aulas são ministradas por militares fardados. Segundo a PM, o Proerd é "desenvolvido por policiais militares treinados e preparados" e foi inspirado inspirado no Drug Abuse Resistance Education (Dare), criado na Califórnia em 1983.



 Voltar
Boletim Diretor - Colégio 24 Horas