MATRÍCULAS NA EAD DEVEM SUPERAR CURSOS PRESENCIAIS EM 2023


A Educação a Distância (EaD) é uma grande aliada para melhorar o nível de escolaridade do brasileiro. Em quatro anos, graduações e tecnólogos da modalidade devem ter mais matrículas do que os presenciais. Pesquisa da Associação Brasileira dos Mantenedores de Ensino Superior (Abmes) mostra que a opção será a preferência de mais de 2,2 milhões de estudantes em 2023, chegando a 51% das inscrições. Hoje, são 36%.
Para especialistas, esse é um caminho para reverter os números divulgados pela Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), na última semana. Conforme o levantamento, apenas 21% das pessoas, de 25 a 34 anos, concluíram os estudos universitários – o menor índice da América Latina.
Diretor da Associação Brasileira de Educação a Distância (Abed), Luciano Sathler afirma ser preciso formar mais profissionais, sem deixar de lado a qualidade, e nas áreas que precisam de mão de obra. Nesse cenário, ele aponta a metodologia on-line, inclusive para quem não tem facilidade para se deslocar até uma faculdade.
Sem disponibilidade para assistir às aulas em uma universidade, Jonatan Felipe da Silva, de 21 anos, decidiu pela EaD. Matriculado em Gestão de Recursos Humanos, o auxiliar de estamparia também revela que o preço pesou na escolha. “Eu não teria como pagar o curso presencial”.
Além disso, ele conta com uma bolsa de estudos que reduz a mensalidade pela metade. Atualmente, investe 20% do salário na qualificação. “Essa é a chance de prestar o concurso público (para a Polícia Civil) e melhorar minha renda”.



 Voltar
Boletim Diretor - Colégio 24 Horas