CENSO MOSTRA QUE DISTORÇÃO IDADE-SÉRIE É MAIOR ENTRE OS MENINOS


O indicador distorção idade-série é o dado estatístico que acompanha, em cada série, o percentual de alunos que têm idade acima da esperada para o ano em que estão matriculados. No Censo Escolar 2020, foi constatado que a maior taxa de distorção idade-série está entre os alunos do sexo masculino, em todas as etapas de ensino. A maior diferença é observada no 6º ano do ensino fundamental, em que a taxa de distorção idade-série é de 28,2% para o sexo masculino e de 16,8% para o sexo feminino.
De acordo com a pesquisa, a elevação na taxa de distorção inicia a partir do 3º ano do ensino fundamental, sendo mais alta no 7º ano do ensino fundamental e na 1ª série do ensino médio. A taxa de distorção idade-série alcança 22,7% das matrículas dos anos finais do ensino fundamental e 26,2% das matrículas do ensino médio.
Um dado que contribui bastante para a elevação do indicador de distorção idade-série é o percentual de alunos reprovados ou que abandonaram os estudos em um dado ano letivo. A pesquisa constata, também, que a distorção idade-série é um processo que dificilmente é reversível, tendo em vista que um aluno que atrasa os estudos no início da educação básica, por conta da reprovação ou abandono, permanece nessa situação até a conclusão do ensino médio ou, eventualmente, até uma evasão.
Ao observar a taxa de distorção idade-série do ensino fundamental da rede pública é perceptível uma tendência de queda. Em 2019, a taxa era de 18,7%, em 2020, passou para 17,8%. No ensino fundamental, as maiores taxas de distorção da rede pública são encontradas no 6º, 7º e 8º ano, com 26,1%, 26,9% e 25,6%, respectivamente. Na rede pública, os alunos do sexo masculino apresentam taxas de distorção idade-série maiores para todos os anos do ensino fundamental, em relação às alunas. A maior discrepância na taxa de distorção é observada no 6º ano, que apresenta uma diferença de 12,5 p.p (pontos percentuais).
Já na rede privada, a taxa de distorção idade-série do ensino fundamental é inferior e menos variável do que a da rede pública. Segundo o Censo Escolar 2020, as maiores taxas de distorção da rede privada são encontradas no 7º, 8º e 9º ano, com 5,8%, 6,2% e 6,4%, respectivamente. Da mesma forma, os alunos do sexo masculino matriculados na rede privada apresentam maiores taxas de distorção idade-série para todos os anos do ensino fundamental, em comparação com as alunas.
O indicador educacional “Média de horas-aula diária” avalia o tempo médio diário de permanência do aluno na escola em diferentes etapas de ensino. Na pesquisa de 2020, os dados sugerem uma estabilidade, em relação a 2019. Na educação infantil, por exemplo, essa taxa permaneceu igual entre os dois anos. A média de permanência dos estudantes na escola nessa etapa educacional é de 6,0 horas por dia, sendo que na creche a média de permanência é de 7,6 h/d e na pré-escola 4,9 h/d. Já no ensino fundamental, houve uma pequena alteração. Em 2019, os estudantes ficavam em média 4,6h/d na escola e em 2020 esse tempo passou para 4,7 h/d.
Esse indicador da educação básica é referente a quantidade de alunos por turma. Em 2020, a média de alunos por turma na educação infantil foi de 15,8, um pouco menor do que em 2019, que era 16,2 alunos por turma. No ensino fundamental, essa média se manteve igual a de 2019, 23,0 alunos por turma. Já no ensino médio, a pesquisa revelou que houve um pequeno aumento na quantidade de alunos por turma. Em 2020, cada turma tinha em média 30,3 alunos e em 2019 eram 29,6.
É importante ressaltar que esses dados fazem parte da primeira etapa do Censo Escolar 2020 e foram divulgados pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep). Como a autarquia alterou a data de referência do Censo Escolar 2020, de maio para março, devido a pandemia causada pela Covid-19, os resultados da pesquisa retratam a situação das escolas em um contexto que antecede a crise sanitária, não refletindo, ainda, seu impacto na educação. O período de preenchimento das informações referentes à segunda etapa (Situação do Aluno) está aberto no sistema Educacenso até o dia 7 de abril. A divulgação dos resultados finais está prevista para 2 de junho.
Coordenado pelo Inep e realizado em regime de colaboração entre as secretarias estaduais e municipais de educação e com a participação de todas as escolas públicas e privadas do país, o Censo Escolar é o principal instrumento de coleta de informações da educação básica e a mais importante pesquisa estatística educacional brasileira. Os dados coletados resultam em uma série histórica de informações, permitindo a geração de indicadores que representam a situação dos alunos e professores nas salas de aulas do Brasil.



 Voltar
Boletim Diretor - Colégio 24 Horas