Rio de janeiro, 25 de setembro de 2018

Nova diretoria toma posse e estabelece desafios para o próximo biênio

O novo presidente do Sinepe Rio, Jose Carlos da Silva Portugal, e a diretoria eleita para o biênio 2018/2019 tomaram posse nesta quinta-feira, dia 11, em cerimônia no auditório do Sindicato. Portugal ressaltou a importância do trabalho desempenhado pelas gestões anteriores. "Tem uma frase que eu amo que diz que só constrói o futuro aquele que entende e respeita o passado. Eu tenho muito orgulho do meu passado e do passado desta instituição. O nosso primeiro objetivo é dar continuidade ao trabalho sério, competente e à transparência deste Sindicato”, destacou o novo presidente.

Portugal citou os presidentes que o antecederam, como Newton Santiago, José Antônio Teixeira, Edgar Flexa Ribeiro e Victor Notrica. Além disso, destacou a atuação dos diretores João Pessoa de Albuquerque e do ex-tesoureiro, Henrique Zaremba da Câmara, um dos principais responsáveis pela criação de uma auditoria externa para avaliar as finanças do sindicato.

Na mesa, jornalista Adolfo Martins, Cláudia Costa, Paulo Alcantara Gomes, Victor Notrica, Jose Carlos Portugal, Ademar Batista, Célia Maia e o presidente da Comissão de Educação da Alerj, deputado Comte Bittencourt

Além da continuidade ao trabalho que vem sendo desempenhado pelo Sinepe Rio com equilíbrio e bom senso, Portugal destacou como alguns objetivos a renovação, por meio da energia de pessoas que levem a bandeira da educação privada adiante; a importância de priorizar a comunicação com o público interno e externo; e a continuidade na prestação de serviços de qualidade.

Como desafios, ele apontou as negociações salariais, o impacto da reforma trabalhista para o segmento, a Base Nacional Comum Curricular e a Lei do Ensino Médio. “Precisamos dar a importância que a educação privada merece. Escola particular não é concessão, é liberdade de escolha para as famílias”, afirmou.

O novo presidente mencionou a frase do político e escritor britânico Benjamin Disraeli que diz: “A vida é muito curta para ser pequena”. “Essa frase antiga, que eu gosto muito, é uma verdade. Desejo que façamos o melhor no intervalo de tempo que temos. Agradeço a todos aqueles que fizeram o Sindicato ocupar a posição que ele ocupa hoje. Vamos continuar juntos esse trabalho”, ressaltou.   

Em um discurso emocionado, Victor Notrica, que presidiu o Sinepe Rio por três mandatos, e passou o comando para Portugal, falou sobre o papel fundamental de cada educador em prol da categoria. “A mudança não é algo que acontece a cada dois anos, quando elegemos um novo presidente e uma nova diretoria para tocar os rumos deste Sindicato. A verdadeira mudança acontece diariamente com o esforço de educadores comprometidos que lutam em suas escolas para formar uma nova geração. Sou muito feliz por pertencer a essa categoria de profissionais há mais de 60 anos”, afirmou Notrica.

 Jose Carlos Portugal apresenta os objetivos e desafios do Sinepe Rio para os próximos dois anos 

O presidente da Comissão de Educação da Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj), deputado Comte Bittencourt, afirmou que o Sindicato pode continuar contando com a Comissão para cumprir os desafios da educação brasileira e o papel da educação privada nesse contexto.

“As histórias do Victor, do Portugal e do Sinepe Rio se confundem com a história da educação brasileira, porque eles sempre se dedicaram à defesa da educação privada. Precisamos lutar para preservar os nossos direitos, com as liberdades que nos competem e que a constituição nos garante, para continuarmos apresentando, através do nosso trabalho, a nossa contribuição para a construção da educação deste país”, disse o deputado.

De acordo com o presidente da Federação Nacional das Escolas Particulares (Fenep), professor Ademar Batista Pereira, o Rio de Janeiro desempenha um papel de protagonismo para a educação do país: "Tudo que acontece no país acontece primeiro no Rio de Janeiro. Isso exemplifica um pouco da importância que o Sinepe Rio tem para a educação brasileira. A capacidade da educação privada de influenciar é grande. Temos 15 milhões de alunos no país. Precisamos fazer cada vez mais para, assim, mudar o Brasil”.

Para Cláudia Costa, presidente do Sinepe-RJ, a chegada de novos integrantes para a diretoria fortalece a atuação da instituição. "Fico feliz de ver que essa chapa está trazendo gente nova, porque é disso que os nossos sindicatos precisam: experiência e renovação para que se tornem sólidos", disse.

Novo presidente discursa para convidados que prestigiaram posse da diretoria eleita

A cerimônia de posse contou ainda com a presença do presidente da Associação Brasileira de Educação, professor Paulo Alcantara Gomes; o presidente do Sindicato das Escolas Particulares do Distrito Federal, professor Álvaro Moreira Domingues Junior; o presidente da Folha Dirigida, Adolfo Martins; o vice-presidente do Sinepe-RJ, Luiz Henrique  Mansur; a presidente da Associação Brasileira de Educação Infantil, Célia Maia, dentre outras personalidades.

Jose Carlos Portugal estudou no Colégio Militar do Rio de Janeiro. Começou a carreira de professor em 1970, dando aula de Física no Curso ADN, enquanto cursava Engenharia na UERJ.  Em 1978, fundou o Grupo MV1 de Ensino.  Na área sindical, começou em 1984, na gestão do professor Newton Santiago. Portugal também é membro do Conselho Estadual de Educação (CEE). A vice-presidência da nova diretoria é ocupada pelo professor Pedro Paulo de Bragança Pimentel Junior, diretor da Escola Técnica do Rio de Janeiro (ETERJ).

Voltar