VOLTA ÀS AULAS REFORÇA A NECESSIDADE DE PSICÓLOGOS NAS ESCOLAS


Em Aracaju, o vereador Eduardo Lima (Republicanos) e o presidente do Conselho Regional de Psicologia de Sergipe, Naldson Melo Santos, discutem a necessidade de psicólogos nas escolas neste momento de expectativa do retorno das atividades presenciais. Segundo o parlamentar, a presença dos profissionais nas instituições de ensino será fundamental nesse processo de retomada, após mais de um ano de aulas presenciais suspensas e as crianças e adolescentes afastadas do convívio social.
“Muitos destes jovens têm dores que não são compartilhadas com a família e a escola e os professores dão essa oportunidade de escuta. Ter um profissional habilitado para esse trabalho faz a diferença”, defendeu.
Previsto para maio, o retorno às aulas na rede municipal de ensino ainda é visto com muita insegurança entre os pais, alunos e principalmente profissionais de educação. Isso gera expectativa e até mesmo ansiedade. Todos devem voltar à rotina, rodeados de dúvidas, tanto sobre as questões sanitárias, quanto pedagógicas e relacionadas à saúde mental. De acordo com Eduardo Lima, o psicólogo pode ser um alicerce para sustentar as pessoas envolvidas neste processo. “Vamos estudar uma indicação a Secretaria da Assistência Social e de Educação para contratar de forma emergencial profissionais de psicologia e assistentes sociais. Precisamos que exista uma força tarefa para que esses profissionais estejam na linha de frente para acolher alunos e professores”, argumentou.
De acordo com o Conselheiro Presidente do Conselho Regional de Psicologia de Sergipe, Naldson Melo Santos, “são poucas as escolas particulares do município, que abraçam a psicologia escolar. Temos exemplos de casos que, se a criança recebesse o atendimento psicológico, teríamos evitado situações extremas”. Essa afirmação confirma o que foi apontado pelo relatório feito pelo Sistema de Informação de Agravos e Notificação, o Sinan. Segundo o estudo, em todo ano passado, 195 pessoas, em Aracaju, praticaram atos de autoviolência. Só entre os adolescentes, com idades entre 15 e 19 anos, foram 37 notificações. Entre os jovens, de 20 e 29 anos, 57 registros.
Ainda durante a reunião, Eduardo Lima defendeu também a contratação de mais psicólogos para atuar nos Centros de Referência em Assistência Social (CRAS). Aracaju conta com 17 unidades e segundo o parlamentar, o número de profissionais não é suficiente para a demanda de atendimentos que aumentou durante a pandemia. “Tenho visitado aos CRAS e CREAS e percebo que não há um quadro suficiente para dar suporte à demanda que o município precisa. Eu tenho me debruçado muito ao trabalho social e percebo essa carência”.
Naldson Melo Santos concordou com as palavras de Eduardo Lima e agradeceu o empenho do parlamentar em levar para a Câmara as demandas da categoria. Naldson defendeu o trabalho dos vereadores nessa construção coletiva. “é fundamental que os senhores vereadores criem projetos de leis e que eles entrem em vigor. Os psicólogos e assistentes sociais precisam de autonomia para que haja atuação e fiscalização”, afirmou o presidente.



 Voltar
Boletim Diretor - Colégio 24 Horas