Rio de janeiro, 19 de setembro de 2021

Decisão judicial mantém aulas presenciais em escolas e creches particulares do Rio

Atendendo uma ação do Sinepe Rio, impetrada pelo escritório Bichara Advogados, o juiz Elisio Correa de Moraes Neto, do Tribunal Regional do Trabalho da 1ª Região (TRT-1), manteve a decisão que permite as atividades presenciais nas escolas particulares.

A medida vale para estabelecimentos de ensino da educação infantil ao ensino médio. De acordo com a sentença, publicada nesta quarta-feira, 13, professores do grupo de risco da Covid-19 continuarão a exercer atividades on-line.

"Julgo procedentes em parte os pedidos para manter as atividades escolares, permanecendo a não obrigatoriedade de comparecimento ao trabalho  aos empregados que se encontram na chamada 'faixa de risco', conforme definido pelas autoridades sanitárias e em matéria de saúde, mantendo-os ativos por meio do 'ensino à distância', propiciados os meios físicos e adequados para esses profissionais ministrarem aulas, segundo a conveniência da instituição de ensino e às expensas de cada empregador”, destacou o juiz.

De acordo com o advogado que acompanha o caso, Dr. João Pedro, a decisão foi importante por dois motivos: o primeiro é que ela dá uma segurança definitiva para que as aulas possam retornar agora em fevereiro. O segundo é que o próprio texto da decisão constatou que a média de Covid no Estado do Rio de Janeiro não foi impactada substancialmente com o retorno às aulas presenciais.

 

Clique aqui e confira o texto da decisão.

Voltar

Saiba tudo sobre a Base Nacional Comum Curricular

COVENÇÃO COLETIVA 2019/2020

Informações sobre o Pisa

REFORMA TRABALHISTA


Confira o Quadro Comparativo aqui

EDIÇÃO IMPRESSA


FILIADO